Informe Publicitário

Geração de energia solar em residências ganha mais incentivos

Considerada limpa e sendo cada vez mais utilizada nos países desenvolvidos

Redação

Considerada limpa e sendo cada vez mais utilizada nos países desenvolvidos, a geração fotovoltaica é uma fonte de energia que, através da utilização de células fotovoltaicas, converte diretamente a energia luminosa proveniente do sol em eletricidade. Essa geração é conhecida como geração distribuída.

Atualmente, os países do Hemisfério Norte são líderes no setor, sendo a Alemanha referência mundial. O Brasil tem grande vantagem pois nosso potencial é tamanho que, a pior região brasileira em questão de irradiação solar é muito melhor do que a melhor região da Alemanha, país que já utiliza e lidera esta tecnologia há muito tempo.

Desde 2012 ficou mais fácil investir na geração de energia na sua própria residência. Através de uma resolução, a ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) permitiu que a energia gerada em residências pudesse ser devolvida para a concessionária, gerando um crédito para o consumidor utilizar quando não estiver gerando. Por exemplo, a energia gerada durante o dia é enviada para a rede da CELESC, será computado a quantidade de energia na forma de créditos. A noite, quando não há geração energia, a energia continua vindo da Celesc para a casa de acordo com o consumo, diminuindo do crédito gerado. No final do mês, caso tenha crédito sobrando, o consumidor acumula para gastar em outros meses.

Essa primeira resolução da ANEEL já incentivou um pouco esse novo mercado e no Brasil a geração distribuída pulou de 3, em 2012,  para 1.731 consumidores que produzem energia em suas instalações em 2015.

Em novembro de 2015 um novo incentivo foi dado para esses consumidores. É possível distribuir os créditos que sobram para outros consumidores. Em tese, se você gerar mais energia do que gasta, você pode passar para seu vizinho ou parente. Cria-se assim uma possibilidade de venda de energia, que até aquele momento não era permitida. Em Rio Negrinho ou São Bento do Sul, ainda não há nenhuma residência que tenha geração de energia distribuída.

Segundo os Engenheiros Marcélo Nunes Filho e Letícia Scarabelot, um sistema para uma casa com 4 pessoas, pode ter preço próximo de R$ 25.000,00 e o consumo pode ser reduzido de R$ 350,00 por mês para próximo de R$ 30,00. “Esses projetos estão tendo prazo de retorno próximos de 6 anos, sem contar aumentos de tarifas e inflação, e a durabilidade do equipamento podem passar de 25 anos”, informa Marcélo. Letícia destaca ainda, que além de economizar na conta de luz, gerando energia limpa a casa se torna mais sustentável e colabora com o meio ambiente.

Outra vantagem para nosso município é que nossa região, Norte de Santa Catarina, é uma das que há maior incidência de irradiação solar, apresentando um bom potencial para produção de energia solar.

Confira algumas vantagens:

  • Diminuem o impacto ambiental da geração;
  • Não necessitam de linhas de transmissão de grande porte;
  • Não consome combustível;
  • É silencioso;
  • Tem uma vida útil superior a 25 anos;
  • É resistente a condições extremas de tempo (granizo, vento, temperatura e umidade);
  • Não tem peças móveis e, portanto, exige pouca manutenção;
  • Permite aumentar a potência instalada.

Confira abaixo um levantamento de um projeto realizado pela Eng. Letícia no sul de Santa Catarina:

grafico.png

Para mais informações entre em contato:

Marcélo Adriano Nunes Filho - CREA-SC 127251-3 | Telefone (47) 9757-1567

Letícia Toreti Scarabelot – CREA 127283-2 | Telefone (48) 9953 8683



Banner-Jornais-Unidos-Pela-Vacina-180-x-210-px.png

anuncie_aqui.jpg

TM JORNALISMO LTDA. | (47) 3644-9395

Rua Otto Dettmer, 40, Bela Vista, Cep 89295-000, Rio Negrinho/SC

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Jornal do Povo