Comemoração do Cerco da Lapa

No contexto da Revolução Federalista, o episódio do Cerco da Lapa destaca-se no final do século XIX

Celso Carvalho

Lapa (PR) - O 15º Grupo de Artilharia de Campanha Autopropulsado (15º GAC AP), Grupo General Sisson, promoveu uma série de eventos, entre os dias 30 de janeiro a 11 de fevereiro, todos voltados às comemorações do episódio do Cerco da Lapa. 

Uma história de garra, união e patriotismo

No contexto da Revolução Federalista, o episódio do Cerco da Lapa destaca-se como um dos grandes responsáveis pela manutenção da legalidade republicana no final do século XIX.

Ao término de 1893, a pequena e pacata cidade da Lapa, ponto de parada de tropeiros, viu-se sitiada pelas tropas federalistas de Gumercindo Saraiva, comandante dos "maragatos". Por 26 dias, com um efetivo três vezes menor, que incluía mulheres e crianças, os "pica-paus" (republicanos), liderados pelo General Gomes Carneiro, resistiram, heroicamente, às investidas do adversário.

A resistência lapeana evidenciou, com clareza, o resultado vitorioso da união de civis e militares, irmanados pela manutenção dos valores nacionais e da legalidade. Sua bravura e sua garra, durante a heróica resistência, detiveram a impulsão do avanço federalista, permitindo ao Marechal Floriano Peixoto, então Presidente da República, barrá-los em São Paulo.

O 15º GAC AP como guardião das tradições

Atualmente, o 15º GAC AP é o guardião das tradições e do legado dos Heróis da Lapa, tendo, em seus quadros, militares que descendem diretamente daqueles que pereceram, defendendo a legalidade republicana. Segundo dizia o Gen Gomes Carneiro: "Há uma só ordem: resistência a todo transe!".

Fonte: 15º GAC AP/


Fonte: 15º GAC AP/



selo 16 anos.jpg


Edição Impressa



anuncie_aqui.jpg

TM JORNALISMO LTDA. | (47) 3644-9395

Rua Otto Dettmer, 40, Bela Vista, Cep 89295-000, Rio Negrinho/SC

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Jornal do Povo