O vencedor e os vencidos

05 Novembro 2018 10:20:00

Mesmo que Bolsonaro não faça um bom governo, terá seu legado gravado na história política do Brasil.

Dirceu Detroz

Mesmo que Bolsonaro não faça um bom governo, terá seu legado gravado na história política do Brasil. Calma! Não estou torcendo contra. É apenas uma constatação. Desde nossa volta ao estado democrático ainda não houve um bom governo no país. Isso se deve a várias razões que não mudarão só porque Bolsonaro foi eleito. 

Uma dessas razões não é necessariamente o tamanho do país, e sim as diferenças sociais que separam cada uma das regiões. Isso sem contar o desequilíbrio político gerado por essas mesmas regiões. Esse desequilíbrio faz com que o nosso sistema presidencialista esteja condenado ao fracasso contínuo. 

Promessas não cumpridas todos os vencedores fizeram. Trata-se de algo aceitável na política. Entretanto, como Lula no seu primeiro mandato, Bolsonaro terá de lidar com um algo a mais extremamente perigoso. Suas promessas despertaram em seus eleitores enormes expectativas que estavam adormecidas. Expectativas para amanhã. 

Como seus antecessores é possível que Bolsonaro fracasse. Neste caso, diferente dos outros o seu legado ofuscará o fracasso. De qual legado estou falando? Bolsonaro conseguiu algo até recentemente inimaginável. Interromper o plano de poder do PT. 

Embora ninguém tenha prestado atenção, esse legado ganha um peso maior. Bolsonaro fez isto sozinho. Não havia nenhuma sopa de letrinhas a apoiá-lo. Nem as grandes e tradicionais. Nem as pequenas e irrelevantes. Quem era o PSL antes de Bolsonaro que conseguiu ainda outro feito incrível. Muitos se agarraram a sua imagem para se eleger.    

Creio estar sendo doloroso para as lideranças petistas engolir que seu partido cuja marca registrada é a militância, foi derrotado por apenas um homem sem partido. Mesmo derrotado, Fernando Haddad fez questão de não se despir da arrogância petista. Na derrota Lula reapareceu como uma vítima inocente de qualquer crime. 

Vencidos e desmantelados estão também os partidos mais tradicionais. Aqueles que junto com o PT protagonizaram os embates políticos das últimas décadas. Mesmo preso, o petismo tem quem possa mudar o rumo de uma eleição. Já o MDB e PSDB perderam as poucas que tinham. E lideranças não nascem todos os dias. 

Existe um sinal de alerta para Bolsonaro e seus eleitores. Num dos poderes da nação a influência petista permanece intacta. Falo do STF. Para retaliar os arroubos da família Bolsonaro contra os magistrados, não vou me surpreender se o SFT endossar a soltura do ex-presidente Lula. O mar com a onda verde e amarelo gostará? 

O STF guarda na manga outra carta para soltar o ex-presidente. A Itália espera o sim de Bolsonaro para a extradição de Battisti que Lula negou. Quando Battisti estiver na cadeia italiana, Lula poderá estar ganhando sua liberdade. O poder é feito de tramas.



selo 12 anos.png


Edição Impressa



anuncie_aqui.jpg

TM JORNALISMO LTDA. | (47) 3644-9395

Rua Otto Dettmer, 40, Bela Vista, Cep 89295-000, Rio Negrinho/SC

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Jornal do Povo